Maramar lança plataforma interativa sobre Saneamento Rural da Baixada Santista

O Instituto Maramar lança hoje (17 set 2020) a Plataforma Interativa para o Saneamento Rural da Baixada Santista, que traz dados detalhados sobre as condições de saneamento nas regiões rurais dos nove municípios da Baixada Santista e tem o objetivo de funcionar como um sistema de vigilância sobre o tema para essas cidades. O termo rural é aqui aplicado a tudo que não é tipicamente área urbanizada e envolve bairros praieiros, ribeirinhos, chácaras de recreio, áreas de agricultura, comunidades associadas a áreas naturais distantes dos núcleos urbanos e até condomínios privados que criaram seu próprio sistema, já que o poder público não tinha condição, ou não tinha interesse em fazer.

Construída com a participação dos habitantes locais e aberta a contribuições a qualquer momento, a plataforma traz diagnósticos e demonstra os avanços nos serviços de distribuição de água, tratamento de esgoto, drenagem e coleta de resíduos sólidos ao longo das áreas rurais, isoladas, ribeirinhas e afastadas cujos serviços públicos de saneamento ainda não foram alcançados nos municípios da Baixada Santista.

O destaque da Plataforma são suas ferramentas de interação. Por meios simples como mensagens por Whatsapp, as comunidades podem avaliar as condições dos serviços em suas regiões, sugerir melhorias e denunciar problemas. A outra forma é escrever direto no “fale com a gente”.

Além disso, a plataforma atua como uma ferramenta de autoformação, já que traz informações, em texto e áudio, sobre 14 indicadores que as comunidades podem e devem estar atentas em relação aos serviços de saneamento em suas regiões. Os indicadores foram criados com o objetivo de alertar aspectos urgentes e essenciais para os bairros mais afastados de todos os municípios da Baixada Santista e assim serem usadas para cobrar melhorias e buscar parcerias para a solução.

No portal ainda é possível acessar informações sobre os indicadores de saneamento para cada uma das nove cidades da Baixada, de maneira municipalizada. Essas informações estão disponíveis por meio de mapas, documentos oficiais, fotos, que foram compilados pelo MARAMAR.

“A plataforma é fruto de um longo trabalho de levantamento de dados junto às comunidades e nosso objetivo é que ela possa ser usada por essas pessoas como instrumento de pressão política e acompanhamento das melhorias do bairro”, explica Fabrício Gandini, diretor do Instituto Maramar. “É um instrumento vivo, que se transforma a todo momento. Ter um local para registrar, atualizar, recomendar ou até denunciar é um caminho para dar visibilidade a essa região. De forma resumida, a imensa maioria dos bairros tem serviços pra lá de precários, e a municipalidade, titular do serviço, tem que ter conhecimento dessa situação”.

Fazem parte da Baixada Santista os municípios de Bertioga, Guarujá, Cubatão, Santos, São Vicente, Praia Grande, Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe.