Prefeitura tem condições de liderar agenda de adaptação da cidade ao clima, mas precisa fazer muito para se tornar realidade. Evento ocorrido terça feira (01) reconhece os esforços feito por grupo de pesquisadores e instituições que elegeram a cidade de Santos para trabalhar o assunto.

A cidade foi premiada com colaboração técnica e especial dedicação de professores que ensaiaram a provável elevação do nível médio do mar para a cidade para os próximos 50 e 100 anos. Fica evidente que a cidade precisa se mobilizar pra fazer o enfrentamento, pelo contrário amargará sérios prejuízos.

Acontece que um dos pontos centrais debatidos e avaliados pelo grupo de pesquisados junto com todos os presentes foi a necessidade de uma grande campanha de mobilização para que a cidade compreenda o assunto e, sobretudo, o compromisso da mídia em explicar claramente o assunto, sem catastrofismo.

Um Decreto Municipal (p.12) de criação de uma Comissão Municipal para Adaptação ao Efeitos do Clima, publicado na mesma data,  peca por não prever a participação da sociedade. A cidade tem chances de ser referência nacional diante da paralisia das outras cidades costeiras do Brasil, mas para isso precisa “acertar com os russos antes”. A sociedade, a academia, organizações, associações de bairros afetadas, centros culturais e demais grupos de atores necessitam ser envolvidos para criar um mecanismo de Governança e não simplesmente de Governo.

Senhor prefeito Paulo Alexandre Barbosa é hora de adaptar e inovar a sua própria maneira de governar como dissera um dos presentes do evento !!

Quando tratamos de recursos naturais e ambientes de uso comum  a palavra chave é Gestão Participativa e Compartilhada, a tradução dessa estranha palavra está na Sociedade, fora do Gabinete.

Fabrício Gandini

Instituto Maramar

Gostou? Compartilhe