O trabalho em comunidades sempre traz desafios e surpresas. Na Prainha Branca, os temas previamente estabelecidos para as oficinas de formação acabavam recebendo vários adendos, de acordo com a intensidade das discussões.

 

Um dos tópicos que apareceu de maneira espontânea foi o decreto de criação da Área de Proteção Ambiental (APA) da Serra do Guararu. Os moradores relataram que não foram consultados no processo de criação dessa lei.

A relação de confiança com a comunidade foi sendo construída aos poucos. Com base em uma comunicação transparente, explicamos que a proposta do trabalho era criar uma governança coletiva da água.

Nas reuniões, pudemos discutir temas teóricos – aspectos jurídicos e institucionais da gestão da água no Brasil e em São Paulo, por exemplo – e práticos – uso e ocupação do solo, pontos de captação autônomos e enchentes nas cidades.

Assim, a etapa de formação foi bastante rica e contou com a participação ativa dos membros da comunidade.

 

 

Gostou? Compartilhe