Instituto Maramar e artista plástico Jotarelli se juntam para ato na Ilha Diana durante período de pedido de vistas do processo da emissão da licença prévia de um novo terminal em Santos. A ação visa atualizar a comunidade sobre o andamento do processo e lançar uma iniciativa cultural com a doação da tela do artista.

Santos, 26 de novembro de 2015 – Uma iniciativa de valorização de atividades praieiras está saindo do papel e será lançada com um bate papo sobre o que aconteceu na última reunião do processo de licenciamento de mais um terminal de granéis em Santos, que impactará diretamente a Ilha Diana, que está apenas dois quilômetros de distância do empreendimento.

Retratos Praieiros é uma série de telas criada pelo artista plástico e diretor de arte do Clube do Choro, Jotarelli, a partir de histórias relatadas pela população local e pelo Instituto Maramar. Marcado para o próximo domingo (29), Jotarelli vai oficializar a doação de uma de suas telas, que ficará no centro comunitário. O evento terá a exposição do vídeo da manifestação em defesa dos direitos da população feita por Fabrício Gandini, oceanógrafo e diretor do Instituto Maramar, e Eduardo Hipólito, pescador artesanal e morador da Ilha Diana.

“Iremos nos reunir com os morados para celebrar esse momento importante e aguardar, com esperança, a decisão dos órgãos ambientais responsáveis pela emissão da licença”, explica Gandini, “Jotarelli, que é parceiro do Maramar, está doando essa tela para consagrar o lançamento da iniciativa Retratos Praieiros, que contará muito da história dessa região, fortalecendo o sentimento de pertencimento e a governança da área continental de Santos”, completa.

Na reunião que aprovaria a emissão da licença prévia do Terminal Santorini, representantes do Instituto Maramar e da Ilha Diana participaram como assistentes técnicos do Conselho. Após manifestações, o Ministério Público (MP) pediu 20 dias como prazo para analisar o processo. A partir desse acontecimento, o Instituto Maramar está se mobilizando para coletar e difundir informações sobre potenciais impactos que um empreendimento dessa dimensão pode causar na região através de uma plataforma colaborativa.

O ato faz parte das atividades do Programa Ingá, do Instituto Maramar,  com o objetivo de defender os direitos das comunidades pesqueiras tradicionais da região, atuando pela governança ambiental. Na reunião do Consema, as manifestações foram feitas considerando os impactos nas comunidades e atividades tradicionais e o evento na Ilha Diana é um complemento, já que os aspectos de governança contempla a troca de conhecimento, agregando pessoas e cultura.

O convite é aberto, para todos que se preocupam com as comunidades praieiras e o meio ambiente. O objetivo é reunir a população interessada para cobrar estudos mais aprofundados de impactos ambientais desse tipo de empreendimento. A tela doada tem o formato 2,15 x 1,50 e foi feita em aquarela, uma arte exclusiva do artista, a única tela colorida que ele pintou até hoje, pois ele faz trabalho apenas em preto e branco.

Serviço:

Local: Centro Comunitário de Ilha Diana
Data: 29/11/15
Horário: 14h

Programação

Assunto: Avanços no caso do Terminal Santorini – o direito das pessoas sendo garantidos

14h – Apresentação de Vídeo sobre manifestação em defesa da Ilha e do meio ambiente
– Eduardo Hipólito (pescador)
-Fabrício Gandini (Oceanógrafo do Instituto Maramar)

15h – Doação da Aquarela da Ilha Diana a ser colocada no Centro Comunitário
Presença do artista plástico e diretor do Clube do Choro de Santos: Jotarelli.

16h – Música e Alegria!

Sobre Jotarelli

Autodidata, o artista plástico Joacir Alves de Oliveira, que assina Jotarelli, nasceu em Sergipe e na década de 80 veio para Santos onde cursou a Faculdade de Artes Plásticas, na Universidade Santa Cecília dos Bandeirantes. Jotarelli tem em seu currículo pinturas homenageando pessoas famosos como o jogadores de futebol Pelé e Pepe, os compositores e instrumentistas Garoto, Luizinho 7 Cordas, Rafael Rabello, o músico Raimundo Fagner, Reco do Bandolim, Roberto Carlos.

Jotarelli, que quando menino começou a desenhar com carvão, lembra que o talento de muitos jovens podem ser despertado com materiais simples como tinta látex, lápis de cor e aquarela, que hoje são seus instrumentos de trabalho. Ele conta que a aquarela vertical foi criada por ele, ou seja, um esquema inédito de pintura é possível se utilizar de aquarela em cavalete.

Jotarelli é diretor de Artes do Clube do Choro de Santos.

Gostou? Compartilhe